A POLÍCIA NÃO TEM MEDO DE “ARROMBADO” NENHUM

//A POLÍCIA NÃO TEM MEDO DE “ARROMBADO” NENHUM

A POLÍCIA NÃO TEM MEDO DE “ARROMBADO” NENHUM

“Não uso preto à toa. E o Falcão no meu peito não é de enfeite…” disse o delegado Juan Valério em uma rede social, depois de uma foto dele aparecer num vídeo de ameaças feitas por integrantes da Família do Norte (FDN) à diversos membros da segurança do Amazonas. O vídeo começou a circular em diversos grupos de WhatsApp, na noite de quarta-feira (5) e rapidamente se espalhou pela cidade de Manaus. Já não é a primeira vez que organizações criminosas usam de vídeos, raps, ou funks para divulgar e tentar intimidar policiais do Estado.

O delegado que atualmente está na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) do grupo FERA, usou o Instagram para mostrar que não tem medo das ameaças feitas e que o símbolo usado no peito, um falcão, significa muito e não seria apenas um enfeite na roupa preta que o mesmo utiliza nos trabalhos como delegado de Polícia Civil.

Vários amigos, policiais civis e militares, coronéis da Polícia Militar, delegados e internautas comentaram o post de Juan Valério. Dando palavras de apoio e ainda mostrando que poderá existir um combate entre a polícia e a FDN. Um dos seguidores do delegado diz que é uma audácia o vídeo exposto. “Boa noite, eu achei uma audácia um vídeo ameaçando todas as autoridades do Amazonas. Deus abençoe a vida de cada um de vocês”, comentou.

Até o momento ainda não teve um pronunciamento oficial da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), de quais providências serão tomadas para que o caso seja investigado.

VÍDEO ASSUSTA OS MANAUARAS

No meio desse fogo cruzado que promete morte e muito sangue derramado, fica o manauara, a mercê de ameaças de bandidos e o encorajamento da Polícia Civil que diz não ter medo nenhum. Já o cidadão, fica inseguro de sair de casa e se tornar estatística de vingança para assassinos de facções criminosas. O delegado Juan Valério, é ameaçado pela FDN de pegar tiros de fuzil e que a luta agora é contra o Estado.

Dentre os marcados para morrer, estão coronel Anézio Paiva; o irmão dele, tenente-coronel Klinger Paiva, ex-secretário executivo da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop) da Secretaria de Segurança Pública. Os nomes deles são citados junto à revelação de que os dois teriam pegado muito dinheiro da facção e que agora estão contra o sistema criminal. Klinger é ameaçado de morrer esquartejado.

O capitão Alberto Neto, eleito deputado federal nas últimas eleições, também é citado e dito que não adianta ele tentar se esconder em Brasília. O tenente Carpê Andrade é prometido morrer com balas de fuzil, além do secretário de estado de Administração Penitenciária, coronel Cleitman Coelho.

MORTE DE AGENTE PENITENCIÁRIO FOI UM “PRESENTE”

Especulações de que a morte do agente penitenciário Alexandro Rodrigues Galvão, 36, que foi morto com uma estocada no pescoço no último sábado (1), por detentos do Pavilhão 3 do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), seria um presente de aniversário para o narcotraficante Zé Roberto da Compensa, foram confirmadas no vídeo, pois a foto do mesmo aparece acompanhada de um texto que afirma a desconfiança da polícia.

Apesar da identificação dos três detentos suspeitos da morte do agente, Arley de Oliveira Silva, Bruno Coelho Costa e Adriano Souza e a transferência deles para o Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), ainda ficou no ar a suspeita de rebeliões dentro dos presídios na capital e no interior. Com isso a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), decretou que estão suspensas as visitas em todos os presídios no Amazonas e ainda proibidas as entradas de alimentos para os detentos.

2018-12-06T16:09:30+00:00dezembro 6, 2018|Manchete|