A futura ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, já chegou causando. Nesta terça-feira ela diz que vai propor a criação de uma Lei que torna o aborto um crime hediondo, aumentando a pena, colocando a gestante em regime fechado e reacendendo a polêmica entre os defensores e os que são contra o aborto. “Vamos estabelecer políticas para o bebê na barriga da mãe”, avisou. Pelo projeto dela, o aborto renderá pena de 4 a 10 anos de prisão.

 

BOLSA ESTUPRO?

Outro projeto polêmico da ministra é criar um auxílio para mulheres que forem estupradas e decidirem ter a criança assim mesmo. Não está claro de que forma, nem o valor do que está sendo chamado de “bolsa estupro”.  Também ainda não ficou claro quanto tempo essa bolsa seria paga. A partir de janeiro o tema será colocado na mesa para discussão pela ministra, que promete levar a ideia aos parlamentares e ao presidente Bolsonaro.

 

BOLSONARO PEDE TRÉGUA

Presidente diplomado, Bolsonaro aproveitou o discurso transmitido ao vivo para todo o País e pediu um pouco de calma aos que não votaram nele. No melhor estilo paz e amor, o presidente disse que o voto é um “compromisso inquebrável”, tentativa clara de se comprometer com a democracia, uma das críticas mais ferozes de seus opositores.

NINGUÉM MERECE!!!

  • Wilson Lima teve as contas de campanha reprovadas no TER, mas não é nada que não caiba correção ou que o atrapalhe na caminhada a partir de janeiro.
  • O comandante da PM no Amazonas, coronel Cláudio Silva, esteve nesta terça com Jair Bolsonaro, dando ao presidente um diagnóstico da violência no Estado.