Mesmo com a lenta recuperação da economia, o os ganhos dos bancos continuaram crescendo em ritmo acelerado. Em 2018 os bancos brasileiros lucraram R$ 98,5 bilhões o que representa um aumento de 17,4% em relação a 2017. É o maior lucro dos bancos desde o Plano Real, em 1994, segundo o Banco Central.

 Menos gastos com calotes

De acordo com diretor de fiscalização do BC, Paulo Sérgio de Souza, contribuíram para o aumento da rentabilidade e dos lucros dos bancos a redução de despesas administrativas e de recursos reservados para cobrir calotes de clientes. Os bancos tinham R$ 120 bilhões reservados para cobrir calotes em 2016. O número começou a cair em 2017, passando para R$ 90 bilhões, e chegou a R$ 70 bilhões em 2018.

No vermelho

No polo oposto, o grande destaque negativo em 2018 foi a construção civil. O setor acumulou R$ 2,83 bilhões de prejuízo, contra R$ 3 bilhões de déficit no ano anterior. O maior rombo foi registrado pela Mendes Júnior. Quem liderou a lista foi a BRF, com prejuízo de R$ 4,4 bilhões, seguida pela Minerva (R$ 1,2 bilhão), ambas de alimentos.

Ninguém Merece!!!

  • Mais uma vez, o setor mais lucrativo foi o dos bancos. Juntas, as 22 instituições financeiras embolsaram R$ 98,5 bilhões, com crescimento de 17,4% sobre o ano anterior.
  • O lucro das 308 empresas de brasileiras com ações na Bolsa cresceu 42% em 2018 em relação ao ano anterior e somou R$ 177,5 bilhões.
  • A taxa de crescimento do lucro foi quase o triplo da registrada em 2017 (17%), segundo estudo da Economática, empresa especializada em informações financeiras.
  • Entre os bancos, o Itaú Unibanco foi a instituição com maior lucratividade (R$ 24,9 bilhões), seguido pelo Bradesco (R$ 19 bilhões).