O Amazonas tem 54 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19), destes 49 em isolamento social e 21 aguardando o resultado de exames e 1 óbito. Quatro pacientes estão internados, sendo um deles no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Aziz, e três na rede privada.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (25/03), durante coletiva de imprensa on-line concedida pelo governador do estado, Wilson Lima e a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto.

Dos 52 casos confirmados, dois são oriundos do município de Parintins. Sendo que um deles veio a óbito na noite desta terça-feira (24).

Os demais foram identificados em Manaus. Os pacientes que não estão internados estão em isolamento domiciliar, monitorados e acompanhados diariamente por profissionais de saúde.

*Rede de assistência –* A secretária executiva adjunta da Capital ressaltou que o Delphina Aziz, referência para o atendimento de pacientes graves de Covid-19, tem atualmente 50 leitos de UTI. Segundo Dayana, no caso de necessidade de ampliação, esse total de leitos pode passar para 350.

“Nós temos outros 20 respiradores disponíveis na rede para ampliação imediata de 50 para 70 leitos, e o Delphina está sendo trabalhado para atingir o teto de 350 leitos”, disse Dayana.

Questionada sobre a possibilidade do uso de outros equipamentos do Estado, como estádio de futebol, para a expansão de leitos, a secretária explicou que essa é uma medida levada em consideração por outros estados, mas que ainda não se aplica ao Amazonas.

“Diferente dos demais estados, nós temos uma situação no Amazonas em que nós temos capacidade de expansão do quantitativo de leitos dentro de estruturas prontas. Então, é uma estratégia, sim, que foi avaliada, nós temos alguns protótipos em torno dessa alternativa, porém, no momento, optamos por ampliação de leito nas unidades em que nós já temos leitos, como é o caso do Delphina, que pode chegar aos 350 leitos”, explicou Dayana.

*Portos e estradas –* A diretora-presidente da FVS-AM pediu que a população siga a orientação para permanecer em casa. E lembrou que, após decisão da Justiça Federal, o Amazonas colocará em execução as medidas de restrição ao transporte de passageiros em portos e estradas intermunicipais. “A sua forma de colaborar conosco é ficando em casa, evitando circular”, pediu Rosemary.

A secretária executiva adjunta também reforçou a orientação contra notícias falsas, pedindo que a população busque informações sobre a doença em sites oficiais e de confiança.

“É necessário que a sociedade não acredite em fake news. Todas as informações reais, verídicas, são dadas por nós, enquanto governo. Não temos interesse algum de sub informar, esse não é o objetivo. Estamos aqui diariamente, informando, trabalhando, e fazendo os investimentos necessários”, disse Dayana.