A polêmica taxa do lixo foi suspensa pelo prefeito Arthur Neto. Após muitas críticas, o prefeito lembrou nas redes sociais que foi Amazonino Mendes, quando era prefeito, quem criou e que “não sei porque razão não foi aplicada”. Arthur também chamou a atenção de que estavam “fazendo tempestade em copo d´água”, mas lembrou que outras capitais já cobram o valor. “Apenas 80 mil pessoas seria selecionadas para pagar e 420 miul seriam isentas. Pessoas que a situação econômica e financeira não são das melhores também não pagariam. Seria uma taxa de R$ 80 pagas em quatros vezes sem juros. Mas vamos suspender e redefinir os valores”, relatou.

Arthur disse que uma etapa do processo de cobrança foi queimada. “Suspendemos a cobrança da taxa de coleta de resíduos sólidos, a taxa do lixo, porque precisamos ajustar uma etapa no processo de implementação. Acatamos uma observação muito bem colocada pelo vereador Coronel Gilvandro Mota, presidente da comissão de Serviços Públicos da Câmara. Dos mais de 500 mil contribuintes potenciais, apenas cerca de 80 mil pagariam a taxa em seu valor mínimo e parcelada de quatro vezes sem juros. Vamos nos ajustar com o norte da justiça social”.

Ou seja, agora o projeto de cobrança vai para a Câmara, onde será discutido com os vereadores, para que seja norteado pela questão social, para que os mais pobres não paguem,.  Não há prazo nem data definida para que ele seja discutido.