Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) revelou que quase seis em cada dez brasileiros (56%) não só não poupam como não têm nenhum tipo de reserva financeira para encarar a velhice.

O grupo de brasileiros que declarava não guardar nada cresceu em relação ao levantamento anterior, realizado em novembro em 2017, quando era de 47% do total. A alta foi de quase 10 pontos porcentuais em um ano. De acordo com o estudo, a maioria que ainda não se aposentou espera contar com a Previdência Social para seu sustento quando entrar nessa fase da vida.

Sustento na senilidade

O estudo constatou ainda que oito em cada 100 brasileiros (8%) não têm a menor ideia de onde virá o dinheiro que precisarão para o sustento durante a velhice. Na pesquisa anterior, eram 12%.

Apenas o grupo que acredita que terá apoio financeiro dos filhos ou de alguém da família para continuar a viver caiu: de 2% no levantamento anterior para 1% neste, realizado em novembro do ano passado e divulgado agora.

Número de precavidos cai

O levantamento da Anbima mostra também que apenas 21% dos brasileiros vêm se preparando de alguma forma para a velhice. Eles declararam que os recursos para suas aposentadorias virão do salário que recebem hoje. No levantamento anterior, eram 28%.

No universo de precavidos, 10% disseram que pretendem utilizar, por exemplo, dinheiro de aplicações financeiras para enfrentar o futuro. Outros 8% afirmaram que poderão contar com recursos de plano de previdência privada e 4% responderam que receberão aluguéis de imóveis que possuem.