CTAM DO SESI COMPLETA 38 ANOS

//CTAM DO SESI COMPLETA 38 ANOS

CTAM DO SESI COMPLETA 38 ANOS

Aulão de ritmos, karatê, e a final das modalidades Futebol 7 Society Master e Principal, e Futsal Feminino do Campeonato Jogos SESI 2018 movimentaram o SESI Clube do Trabalhador do Amazonas(CTAM) na semana de aniversário, quando completou 38 anos de atividades. (28 de setembro)

Mesmo sob a chuva os participantes da festa deram o seu melhor no Aulão de Ritmos e Fitdance, comandados pelo professor, Vanderson Oliveira e Equipe Show do SESI, respectivamente. Todos embalados ao som dos hits do momento “Paralisa –  de MC Loma e as Gêmeas da Lacração”, “Devagarinho –  com Luísa Sonza”, “Mexe, mexe – Gaviões do Forró”, “Paredão das amigas – Duas medidas”, entre outras. Vanderson atende aos industriários e comunidade em geral na Academia do SESI, de 2ª a 6ª feira, com aulas de ginástica (Jump, Adbomem e Localizada). 

Para o industriário da empresa Naturex Ingredientes Naturais Ltda e aluno da academia do SESI, João Paulo Alves, 30 anos, disse ser essa uma boa oportunidade para que as pessoas conheçam os serviços do SESI. Ele participa há mais de três anos das atividades do CTAM, passando pelos cursos de Jiu-jítsu, Judô e Natação, mas diz ter se identificado mais com as atividades realizadas na academia, com as aulas de Zumba e Musculação.

Também como parte da programação, o professor Afonso Pinto realizou sua aula de Karatê, aberta ao público, para mostrar a importância da atividade para todas as idades. O professor já faz parte da história do CTAM há 23 anos, e diz comandar aproximadamente 130 alunos em todos os turnos, que vai de crianças a partir dos 4 anos de idade, ao público da terceira idade.

A importância do Karatê, não só para as crianças, mas também para pessoas da terceira idade, é fundamental, porque ela mexe tanto com a parte física, como com a mental”, disse Pinto.

 

Serviços

O Clube do Trabalhador do SESI oferece, além de modalidades esportivas, culturais e o parque aquático, o aluguel dos espaços usados para as práticas de esportes, incluindo dentre eles: dois ginásios, dois campos sintéticos, duas quadras de areia e o Estádio Roberto Simonsen.

Localizado na Alameda Cosme Ferreira, 7399, São José I, o Clube funciona da segunda a sexta-feira para as aulas locativas e sábado, domingo e feriado o Parque Aquático. Para mais informações sobre as aulas e aluguéis, ligue (92) 3216-1030.

 

Futsal feminino

Demonstrando desempenho melhor do que no ano passado, as meninas da Salcomp levaram pela 8ª vez o título de campeã contra as adversárias da Keihin na final do Futsal Feminino dos Jogos SESI 2018, pelo placar de 3 a 1. Na mesma ocasião foi realizada a semifinal da modalidade com as equipes da Transire e Flex, sendo a última a titular do 3ª lugar, ao vencer por 2 a 1. As partidas foram realizadas no CTAM, na quadra Domício de Velloso.

Para a treinadora da Salcomp, Nilce da Silva, a vitória em 2017 foi bastante apertada, sendo assim, em 2018, treinaram mais um pouco para um resultado diferente, e foi o que aconteceu, disse. “Treinamos todas as terças e quintas-feiras, além de participar de campeonatos todos os sábados, para que as meninas ficassem preparadas para a competição do SESI e para um melhor entrosamento”.

A prática do esporte faz com que o desempenho das trabalhadoras fique melhor, porque as meninas levam disciplina, organização, habilidade e inteligência para o ambiente de trabalho. “Tudo que a gente adquire dentro do esporte, nós conseguimos levar para a empresa”, afirma a treinadora.

 

Futebol 7 Society Principal

A Salcomp também levou a melhor na final do Futebol 7 Society Principal. Venceu a atual campeã CTK Embalagens com o placar de 2 x 1, na disputa pelo 1º e 2º lugar. Já com uma partida acirrada, decidida por pênaltis, o título de 3º lugar ficou com a empresa BNB, que jogou contra a atual vencedora da medalha de bronze, Caloi, que perdeu por um placar de 7 x 5.

André Arlisson da Silva, 38 anos, técnico da equipe de Futebol 7 da Salcomp, vencedora pela 1ª vez na modalidade, explica que a luta pela primeira colocação vem há mais de 12 anos, e que a equipe se sente realizada com o êxito, após tantos esforços.

Já fomos duas vezes terceiro colocados e uma vez vice, e hoje fomos campeões, fomos consagrados, isso é só o início, ainda estamos competindo na modalidade Futsal e Futebol de Campo, e sei que vamos chegar às primeiras colocações”, disse o técnico que, por se alterar na partida, acabou sendo expulso do jogo.

 

Futebol 7 Society Master

Com partida decidida por pênaltis, embaixo de chuva, com muita garra e confiança, a empresa Technicolor foi bicampeã na modalidade Futebol 7 Society Master, com o placar de 4 a 2, contra a empresa Philco, tradicional competidora dos Jogos SESI, e medalha de bronze na modalidade em 2017.

De acordo com o operador de máquina e treinador da equipe vencedora, Sérgio Pinheiro, 53 anos, a equipe vem se preparando durante todo o ano, pois a empresa possui um campo sintético que possibilita a realização de “peladas” e assim ficarem mais preparados para enfrentar os adversários.

Adquirimos um entrosamento muito grande e o nosso time, composto por alguns jogadores que tem a garra, outros que têm a técnica, temos craques em nosso time, além de um ótimo goleiro. O goleiro faz a diferença, ele é acostumado a participar de torneios de pênaltis, então quando vamos para pênaltis, temos muita segurança que sairemos vencedores, pois sabemos que ele vai agarrar o necessário para sairmos campeões. Não escrevemos um time, e sim uma família. Nosso entrosamento no campo é uma extensão de como somos na empresa”, disse o técnico.

A equipe da Keihin chegou, pela primeira vez, após mais de 17 anos tentando, ao menos, se classificar para as finais e, finalmente, por meio de muito treino, realizado todas as terças, quintas e sábados, no campo próprio da empresa, conseguiram alcançar a 3ª colocação, disse o técnico Moises Rodrigues, 48 anos, supervisor de revisão da Keihin. Rodrigues diz que a empresa apoia as equipes participantes dos Jogos SESI com passagens e equipamentos, e o que precisarem para continuarem motivados.

“Começamos a levar a sério as etapas dos jogos, tendo o empenho dos jogadores, o que foi primordial para a vitória. Para quem sempre foi desacreditado, levar a medalha para a empresa é gratificante demais”, frisou o técnico da Keihin.

 

2018-10-03T11:15:38+00:00outubro 3, 2018|Central MSKTV|