Parece uma maldição que nem os braços abertos do Cristo são capazes de quebrar. A prisão de Pezão nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, dá prosseguimento a um ciclo cruel: desde 1998 todos os governadores da terra do samba foram presos por corrupção.   Anthony e Rosinha Garotinho e depois Sérgio Cabral viram o sol nascer quadrado em tempos diferentes. Desta vez, o atual chefe do Estado é acusado de embolsar R$ 39 milhões em propina.  Ele entra para a história como o primeiro a ser preso no exercício do cargo.

E PRESIDENTES DA ASSEMBLEIA TAMBÉM

O mesmo histórico se repete com os presidentes da Assembleia Legislativa, de 1995 a 2017: Sérgio Cabral, Jorge Picciani e Paulo Melodez. Também foram parar atrás das grades 70 deputados estaduais, cinco dos seis Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado e o procurador-geral do Ministério Público carioca, Cláudio Lopes. Não é de se estranhar que o Rio de Janeiro não consiga pagar salários aos servidores e esteja dominado pela violência.

NÃO ESTAMOS LIVRES

Nunca é demais lembrar o que aconteceu com o Amazonas, que viu o sistema de saúde sucumbir enquanto a polícia revelava os desvios na operação Maus Caminhos, que resultou na prisão do ex-governador José Melo e da qual até hoje o Estado não se recuperou.

NINGUÉM MERECE!!!

  • O senador Eduardo Braga (MDB-AM) continuará sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na operação Lava Jato. A ação corre por conta de doações do grupo J&F nas eleições de 2014.
  • Marco Aurelio Choy foi reeleito para a presidência da OAB. Ele recebeu 2.290 dos votos válidos.