DOIS ASFIXIADOS DENTRO DE PRESÍDIOS

//DOIS ASFIXIADOS DENTRO DE PRESÍDIOS

DOIS ASFIXIADOS DENTRO DE PRESÍDIOS

Dois presidiários foram encontrados mortos por suspeita de asfixia em unidades prisionais da cidade na terça-feira (9). Um deles foi identificado como Bruno Vilhena Blanco, 27, o ‘Bruninho’, que foi encontrado enforcado no banheiro da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). Já o outro que teve a identificação divulgada como Alexsander Lima dos Santos, 33, que também estava asfixiado, foi morto dentro do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). As mortes podem ter sido um aviso de rebelião dos presos.

Depois da divulgação das duas mortes, os manauaras puderam ouvir foguetes sendo estourados no bairro da Compensa e Praça 14. A Departamento de Inteligência Penitenciária (Dipen), cuida das investigações e informou que são dois casos isolados. Parentes de presidiários contaram que há uma insatisfação dos detentos quanto ao tratamento que está sendo oferecido a eles pelos agentes penitenciários.

Bruno foi encontrado enforcado e pendurado dentro do banheiro da unidade de vivência da UPP. A vítima ocupava a cela 1004, galeria superior 10, junto com mais oito pessoas que cumpriam pena. O homem foi preso no ano de 2016 com 200kg de drogas e era participante da Família do Norte (FDN).

Já Alexsander, estava morto por asfixia dentro do banheiro do pavilhão 3 do Compaj. Ele ocupava a cela 6, Ala 2 do mesmo pavilhão e havia sido preso pelo crime de tráfico de drogas.

Foguetes estourados na capital podem ter sido em comemoração as duas mortes registradas. Alexsander era suspeito de ter matado um membro do tráfico da Zona Sul no ano de 2007. As mortes foram registradas pela Polícia Civil.

 

EXECUTADO COM TRÊS TIROS NA CABEÇA

O chapeiro Jessé Pinto Teixeira, 27, foi executado a tiros no início da madrugada de quarta-feira (10), por volta de 1h, na rua Santarém, localizada no bairro Colônia Terra Nova, na Zona Norte de Manaus. O crime aconteceu na hora em que a vítima chegava em casa junto com a esposa.

A Polícia Militar contou que o chapeiro trabalhava no bairro Nova Cidade em uma lanchonete e quando se aproximava da residência dele, dois homens não identificados já o esperavam. A ordem dos assassinos era a esposa da vítima correr e não olhar para trás, enquanto ele era atingido por cinco balaços de calibre 38 na cabeça.

Em seguida os criminosos fugiram a pé. A Polícia Civil disse que o homem já tinha duas passagens pela Justiça pelo crime de roubo e homicídio ocorridos no ano de 2016. As linhas de investigação apontam que a motivação para a morte do homem tenha sido um acerto de contas.

Moradores do local disseram para os investigadores que a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas. A princípio o caso foi registrado como latrocínio, porém nenhum pertence foi levado pelos suspeitos. O corpo do autônomo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML), e agora a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), deve investigar o crime.

A mulher que presenciou a ação foi levada para a delegacia para prestar depoimentos. Os dois homens responsáveis pelo crime fugiram.

 

FOI PARAR NO XILINDRÓ

O desocupado da vida Luan Rodrigues Lopes, 20, foi preso em posse de trouxinhas de maconha, cocaína e oxi, na Avenida F, comunidade Mundo Novo, na Zona Norte da capital, por volta de 2h20 da madrugada de quarta-feira (10). O homem foi abordado por policiais militares, tentou correr, mas acabou se dando mal.

Policiais Militares da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), faziam patrulhamento de rotina naquela área da cidade, quando avistaram Luan passeando na rua com um andar de galeroso e se achando. Os policiais decidiram abordar o jovem, mas quando ele percebeu a presença das autoridades, tentou fugir, pulou muros e cansou. Durante revistas pessoais foi encontrado nos bolsos do suspeito cerca de 79 porções entorpecentes entre Maconha, Cocaína e Oxi.

Ele ainda estava ofegante quando tentou dizer que a droga apareceu do nada nos bolsos dele, porém não adiantou muita coisa. O abençoado foi levado para a sede do 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), para prestar esclarecimentos ao delegado, e ao término dos procedimentos cabíveis ele será encaminhado para uma Audiência de Custódia, no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, onde o juiz decidirá o destino da vida do rapaz.

2018-10-10T13:33:02+00:00outubro 10, 2018|Boletim de Ocorrência|