DROGA NA EDUCAÇÃO

/, Fala Sério/DROGA NA EDUCAÇÃO

 A traquinagem na licitação para aquisição de um livreto com o título “Drogas”, com Dispensa de Licitação, feita pela Seduc vai revelando a feição criminosa à gestão da Educação e ao jeito Amazonino Mendes de governar o Estado. A maracutaia denunciada pelo deputado Sabá Reis, do secretário Lourenço Braga, é para deixar caminho livre para escorrer mais de R$ 11 milhões. As graves denúncias de irregularidades de dois de seus secretários de confiança (Afredinho Paes) e de relação direta (Lourenço Braga), traduz a coragem do chefe do Poder Executivo, uma das suas marcas, de seguir sem medo a trilha de seu antecessor José Melo.

Presta atenção, mestre!

As denúncias, rigorosamente, não constituem qualquer novidade. Os dois acusados, há muito, figuram nas manchetes deste periódico, como autores de tramas e tramoias absurdas e foram mantidos até aqui sabe-se lá porque tipo de benesses ou cumplicidade. A participação do professor Lourenço, nessa marmelada parece evidente, pois alguém com sua experiência e curriculum jamais se meteria numa roubada dessa sujando sua biografia com uma folha de desserviços tão comprometedora e criminosa.

Alunos malcriados

Ou seja, Sabá Reis, Chico Preto e Serafim Correa que trouxeram à baila mais uma contravenção veio em boa e oportuna hora. Na escola pública, a situação se agrava em todo o Estados segundo dados inéditos de um exame federal de avaliação de aprendizagem, muito mais preocupante do que se possa supor. É a hora da mudança, do enfrentamento e da escolha, de uma vez por todas, pelo bem, pelo interesse e pelo melhor para todas as gerações futura e o povo do Amazonas.

Ninguém Merece!!!

  • Os candidatos governistas começam a dar estranhos sinais de desencanto com a nova forma de relacionamento entre o candidato comum que trouxe todos os gatos da oposição para o mesmo saco.
  • Reclamam de maior interatividade com a Corte e costumam – indiscretamente – emitir sinais na direção da Compensa para demonstrar sua insatisfação com o fato.
  • Acostumados a manter a ética como refém do interesse pessoal, fazem tudo para uma audiência pecuniária com o “Todo Poderoso”, mas a cerca de jurubeba os impedem.
  • Agora, que o peixe de bucho mole da canoa do Negão tem preço de salmão em plena Sexta-feira Santa, em rio que tem piranha, jacaré nada de costa.
  • Venais e amorais, alguns candidatos raciocinam com os critérios frios e matemáticos do tilintar de sua máquina de calcular. Não estão nem aí com a história do Brasil nem com o fracasso do Flamengo na Libertadores.
2018-08-09T13:16:49+00:00agosto 9, 2018|Estado, Fala Sério|0 Comentários