Nicolás Maduro afirmou “estar governando” e “mais forte do que nunca”. O pronunciamento acontece enquanto a oposição do país, apoiada por Colômbia, Brasil e Estados Unidos, tentam passar pelas fronteiras da Venezuela caminhões com ajuda humanitária.  “Não sabiam o que fazer com aquilo”, disse, referindo-se aos Estados Unidos.

Segundo o presidente venezuelano, o volume de alimentos da ajuda humanitária não chega a 15 mil famílias. “Nós enviamos comida de qualidade a 6 milhões de domicílios todos os meses de maneira direta. Os problemas da Venezuela devem ser resolvidos aqui, pelos venezuelanos”, destacou.

“Aqui não manda [o presidente americano Donald] Trump, não manda [o presidente colombiano Ivan] Duque”, disse Maduro. “E onde estão as supostas eleições, se há supostamente um presidente interino?”, questionou retoricamente, referindo-se a Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente da Venezuela e recebeu o apoio de dezenas de países, entre eles o Brasil.