Dezembro chegou e com ele aquela péssima notícia que acabou com o Natal e o Réveillon dos servidores do Governo do Estado. O salário de dezembro vai ficar para o ano que vem. Wilson Lima guardou este presente de grego para os que tocam o Estado com esforço e dedicação. Habituados a receber os salários até o dia 30 de cada mês, este ano a virada será de bolso vazio, pois o pagamento ficou para os dias 3 e 4.  Diz o “novo” que esta é uma forma de ajustar as contas do Estado, aquelas que nunca fecham, mas que só arrebentam a corda do lado mais fraco. Quando se apresentava na TV, Wilson era o rei das soluções. Dizia que o Estado era rico, que a saúde não podia esperar, nem a educação. Parece que agora está com amnésia.

 

ENTÃO, É NATAL?

Imagina com que cara vão ficar os pais de família na hora de pensar na ceia, nos presentes, na festa e na comida que certamente não vão faltar na mesa do governador. Servidor trabalha com o dinheiro contado. Professor, profissionais da saúde, policiais e a maioria dos trabalhadores não ganham diárias gordas em viagens, nem têm carro oficial, muito menos podem dizer aos credores que o Estado tá sem dinheiro, portanto não podem pagar as contas do mês. Não foi assim que Lima se vendeu na propaganda eleitoral. Se a bronca era com ele antes do voto, porque agora essa pegadinha infame?

 

ARTHUZÃO ENSINA

O Governo do Estado é o oposto da Prefeitura de Manaus. Arthur Neto antecipou o décimo, está com os salários dos servidores garantidos, investe em infraestrutura e dá uma aula de gestão em cima do neófito governador, que insiste em usar a lábia para explicar o que não tem explicação. Não se ouve falar em greve na educação e na saúde municipal, não se vê o prefeito colocando a culpa na crise mundial, muito menos há notícias de que a Prefeitura está para quebrar. Ao contrário, Manaus tem crédito na praça, consegue financiar obras e tem credibilidade suficiente para continuar crescendo, quase como uma ilha encantada em meio ao Estado sem gestão que se tornou o Amazonas em 2019. O que reserva o governo do novo para os amazonenses em 2020? Melhor nem pensar nisso.