O Hospital Israelita Albert Einstein anunciou que irá processar o ator da Globo José de Abreu, 72, por conta de um tuíte no qual ele acusa a instituição de ter apoiado o atentado contra o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL).

“Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad, com apoio do hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM israelense, o fascista matador e corruptor Bibi. A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar m*”, dizia o tuíte em questão, publicado por Abreu no dia da posse de Bolsonaro como presidente do Brasil e apagado minutos depois.

Em nota, o hospital qualifica a acusação  como “grave, insultuosa e infundada”, além de afirmar que tomará medidas judiciais contra Abreu, para “zelar por seu compromisso com a sociedade brasileira”.

Durante a corrida eleitoral, Abreu, que apoiou Haddad no segundo turno, chegou a se indispor com a colega de canal Regina Duarte, por seu apoio a Bolsonaro. “Não respeito artista que apoia fascista”, afirmou na ocasião