O apresentador Pedro Bial tocou num tema pesado na edição desta quinta-feira (11) de seu programa Conversa com Bial. Ele recebeu no talk show o repórter investigativo Valmir Salaro e o historiador Boris Fausto para falar sobre os crimes que ganharam notoriedade na mídia brasileira. Um dos casos comentados foi o de Suzane Von Richthofen, que assassinou os próprios pais em 2002. Salaro revelou detalhes surpreendentes sobre as artimanhas de Suzane – cuja história agora será transformada em filme, protagonizado pela atriz Carla Diaz,  – já durante o período de prisão. “O promotor de justiça se apaixonou pela Suzane, no interior de São Paulo, e chegava a pedir para a diretora da cadeia tirar a Suzane da cela e levar para o gabinete que ele montou no Ministério Público como se fosse boate, com som, luz, lanche para ela”, relatou o jornalista.

Ele disse também que a assassina ganhou a confiança e privilégios por parte de um médico. ““Um médico, que trabalhava em presídio em São Paulo, foi denunciado por carcereiros, funcionários, dizendo que ele protegia muito a Suzane. Ele levava pastel para ela, levava ela na clínica dentro do presídio”, acrescentou Valmir.