A paralisação das atividades dentro das escolas do estado teve início nesta segunda-feira, 15, com a greve dos professores. A classe se reuniu debaixo de chuva na Praça da Polícia e seguiram em caminhada até a Praça da Matriz, no Centro de Manaus. Eles pedem reajuste de 15% – a contraproposta do governo é de 3,93%.

Na sexta-feira, 12, a Justiça do Amazonas determinou ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Siteam) a suspensão do indicativo de greve e, em pedido de tutela provisória de urgência, a abstenção de deflagração da paralisação em qualquer grau. A pena diária é de R$ 20 mil.

“A greve já está acontecendo. Realizamos essa caminhada pelo Centro de Manaus e a greve deve seguir até termos um acordo com o Governo. As escolas estão paradas”, disse Mariane Cruz, assessora do Sinteam.