Policiais civis lotados no 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando do delegado Fábio Aly, titular da unidade policial, cumpriram, na manhã desta sexta-feira (20/9), por volta das 10h, mandado de prisão preventiva em nome do pintor Diogo Santos Souza, 31, por envolvimento a roubo ocorrido em abril deste ano, que vitimou pacientes e funcionários de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), situada na zona norte da capital. A prisão ocorreu na rua Sardinha, bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

De acordo com a autoridade policial, na ocasião do crime, o infrator e um comparsa, este ainda não identificado, adentraram na unidade hospitalar, localizada na rua Ibitita, bairro Nova Cidade, zona norte, e roubaram dois aparelhos celulares de pacientes e funcionários. O delegado destacou ainda que, durante a ação criminosa, os indivíduos portavam uma arma de fogo.

“A ordem judicial em nome de Diogo havia sido expedida desde o dia 17 de agosto deste ano. Hoje, após obtermos informações, por meio de denúncia anônima, fomos até o local delatado e logramos êxito no cumprimento do mandado de prisão do infrator. Ao chegarmos ao prédio da unidade policial para realizamos procedimentos referente a prisão, constatamos a existência de mais uma ordem judicial no nome do infrator pelo mesmo crime, cometido em 2011. Além disso, o pintor ainda é investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) por envolvimento em um homicídio”, explicou o delegado Aly.

Conforme o titular da unidade policial, as diligências em torno desse caso irão continuar até que as circunstâncias do crime sejam completamente esclarecidas e o comparsa do infrator seja encontrado e preso. O mandado de prisão preventiva em nome do pintor foi expedido no dia 17 de agosto deste ano, pela juíza Suzi Irlanda Araújo Granja da Silva, da 2ª Vara Criminal.

Procedimentos – Diogo foi indiciado por roubo majorado. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio do 15º DIP, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.