Internautas amazonenses estão acompanhando o desenrolar de uma confusão entre duas casas de shows de rock de Manaus. Bem conhecidas, e, diga-se de passagem, uma delas considerada a mais renomada entre o público que curte um heavy metal, rock e bom som, estão tomando toda a atenção do pessoal do Facebook depois que uma nota de repúdio foi publicada na página oficial de uma das casas, que fica no bairro São Jorge, onde relata que o gerente Izaías Marques teria sido agredido com um “tapão” ao visitar a concorrência fardado, localizada no bairro Nossa Senhora das Graças.

A nota de repúdio divulgada dizia que no último sábado (15), o gerente do Porão do Alemão, estava fardado e teria ido beber no bar concorrente, com um amigo, e que esse ato era um costume de Izaías. Porém, ainda de acordo com a nota, ele foi surpreendido com um forte tapão nas costas, ouvindo que teria 10 minutos para sair do bar, O Sindicato BBQ-Drinks. Conforme relatos o amigo do “Iza”, como é conhecido, interviu e até brincou dizendo que era segurança dele, achando ser alguma brincadeira. Mas, segundo a assessoria de imprensa do Porão a resposta foi algo como “quer apanhar também?”.

O agressor seria o dono do estabelecimento e teria deixado a ordem para um segurança expulsar Izaías do O Sindicato, caso o prazo não fosse cumprido. Izaías teria ido pagar o que consumiu no local e saiu do bar. O Porão do Alemão disse na nota que sempre recebe empresários concorrentes de forma cortês e que não cria nenhuma competição com outros estabelecimentos. “Você não deu 2 tapas, ameaçou e humilhou só o Izaias. Você fez isso com os proprietários, funcionários, colaboradores, patrocinadores e patrocinados. Esses tapas pegaram até nas bandas que tocam aqui e adoram o Iza. Os clientes que SEMPRE foram bem tratados por ele também sentiram. Jovem, você estapeou o Porão do Alemão inteiro”, diz um trecho.

O Sindicato também se pronunciou por meio de nota e disse que Iza chegou ao local e pediu uma mesa, porém naquele momento a casa ainda bastante movimentada e não puderam atendê-lo por falta de disponibilidade. “No intuito de acomodá-lo, foi oferecida uma pequena mesa acoplada em uma das colunas, porém não havia cadeira, demonstrando insatisfação, o referido gerente começou a fazer comentários desagradáveis para clientes próximos, desqualificando a estrutura da casa, o atendimento e sonorização, numa atitude antiética já que o mesmo tinha sido muito bem recebido. Inconformado com os comentários desagradáveis e somado a tantos outros episódios que relataremos em seguida, houve uma atitude de um dos nossos colaboradores que se aproximou e comentou com o mesmo que se ele não estava satisfeito que poderia se retirar da casa e beber onde bem entendesse”, diz o primeiro parágrafo da defesa do O Sindicato no Facebook.

Na nota é feito um pedido de desculpas aos clientes que se sentiram ofendidos e ainda, dito que em nenhum momento houve agressões físicas entre as partes. O Sindicato afirma que é uma empresa de pequeno porte, porém com uma estrutura adequada para atender os clientes, e que não entende tal perseguição por parte dos concorrentes em questão, que vira e mexe estão bolando vídeos e formas de afrontá-los.

Frequentadores das duas casas comentaram os posts e deixaram as opiniões expostas a quem quisesse ver. Ainda na nota do O Sindicado, é relembrado o caso do delegado Gustavo Sotero, que matou um advogado dentro do Porão do Alemão em novembro de 2017. “Vale ressaltar que num passado recente um lamentável acidente que culminou com a morte de uma pessoa, e que teve repercussão na mídia local e nas redes sociais, não foi instrumento de comentários negativos por parte dos concorrentes, muito pelo contrário, foi um momento em que o referido bar entrou em contato conosco pedindo apoio e, teve sim o nosso apoio, bem como a solidariedade de todos”, diz.

E segundo a nota do O Sindicato, o pessoal do Porão do Alemão estaria tocando o “terror” contra os artistas que tocam na noite Manauara, ameaçando as bandas que forem tocar no O Sindicato de serem banidas da sua casa, pedindo posicionamento para quem ficará do lado A e B. Eles dizem ainda, que se solidarizam com todas as bandas e artistas que sempre foram parceiros deles e comentam que o estabelecimento estará de portas abertas para qualquer artista no local.

Que toda história tem dois lados, isso a gente sabe, só nos resta  continuar sendo apenas expectadores e esperar para ver no que isso vai dar. O Porão divulgou uma imagem que diz: “A resposta foi mais absurda do que esperávamos”, em seguida fala que estão, no momento, ajudando as famílias vítimas do incêndio no Educandos a se reerguerem. O Sindicato também faz postagem de solidariedade as vítimas da tragédia.