Quatro pacientes que estavam na UTI em estado grave no Hospital Igesp, em São Paulo, foram curados após passarem sete dias usando  hidroxicloroquina em associação com outras medicações. De acordo com Dante Senra, médico cardiologista e coordenador das UTI’s do hospital, foram “avaliados criteriosamente os protocolos internacionais”.

Os resultados são animadores, mas não garantidos. “Até onde sabemos, fomos o primeiro hospital no Brasil a utilizar o medicamento. A impressão é muito favorável, mas como se trata ainda de um número pequeno, não há como estabelecer uma relação de causa e efeito. Até porque não há estudos multicêntricos ainda.”

Em Manaus, pacientes do Delphina Aziz estão sendo submetido ao medicamento para a malária, sob supervisão de pesquisadores da Fiocruz. Há relatos na China e nos EUA de pacientes que tomaram o remédio e se recuperaram, mas tudo ainda é muito inicial.

Com parceria Repórter Manaós