O corpo de Geraldo Sávio, de 49 anos, primeira vítima do novo coronavírus do Amazonas, será cremado no município de Iranduba, região metropolitana de Manaus. O empresário que morava em Parintins faleceu na noite de ontem (24), no Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona norte de Manaus.

A informação da cremação foi confirmada pelo governador Wilson Lima, na manhã de hoje (25), e será feita por uma empresa particular.

Segundo a Susam, Geraldo veio para a capital amazonense em UTI aérea e foi internado no HPS Delphina Aziz no último sábado (21), com quadro de insuficiência respiratória com grave comprometimento pulmonar.

O paciente era portador de hipertensão arterial sistêmica. No último domingo, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória, mas foi prontamente socorrido e estabilizado, sendo acompanhado pela equipe médica na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Delphina.

Nesta terça-feira, o paciente apresentou parada cardio-pulmonar, instabilidade hemodinâmica e nova parada cardiorrespiratória. A equipe procedeu manobras de ressuscitação, contudo o paciente não resistiu veio óbito no início da noite.

*Parceria Repórter Manáos