Mais 130 brasileiros ilegais foram expulsos dos EUA neste fim de semana seguindo as ordens de Trump. Desde o ano passado o governo americano está se livrando dos brasileiros ilegais. No primeiro voo foram 70 pessoas e no segundo foram 30 pessoas.

Pamela Cristina, 21 anos, de Governador Valadares, falou à BBC antes do embarque e mostrou que os EUA não estão para brincadeira. “É muito sofrido. A gente entra com uma mente sadia e sai com uma mente doente, aterrorizada. Muito doente”, diz. “A gente se sente um lixo, a pior coisa do mundo. Eles falam pra gente ‘aqui não é sua casa. Se você quisesse ser tratada bem, você ficava na sua casa’. A gente vem atrás de uma vida melhor para a família da gente, acaba achando isso.”

A rondoniense Joyce, 22, ainda levou a filha pequena e não se deu bem “Para mim, o que mais doeu foi ver a minha filha chorar e apontar o dedinho vendo e pedindo uma bolacha, com fome, e eles negarem”, relembra, sentada no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, enquanto tenta com o marido decidir como a família voltará para casa, em União Bandeirante, Porto Velho (RO).