Wilson Lima apenas acaba de chegar ao cargo de governador, mas já passou por dois paredões dos mais difíceis. Após desativar a bomba armada por Amazonino Mendes, foi a vez de colocar o colete à prova de bala e encarar a turma de Bolsonaro. E o fez com muita maturidade, calando os que o chamaram de ingênuo e despreparado para o cargo.

CHUTE NO TRASEIRO DA OPOSIÇÃO

Para quem apostou ou ainda aposta que ele será eliminado pelos conchavos e cascas de bananas desta casa chamada política, ontem, em Brasília, diante do ministro da economia, voltou para casa com a garantia de que nada muda na Zona Franca. Paulo Guedes vai ter de engolir o modelo econômico “privilegiado”, que salva os empregos de muitas famílias amazonenses e preservam a Amazônia para o mundo.

 

PROPOSTAS

Paulo Guedes cobrou de Lima uma ação concreta para que o Amazonas não dependa apenas da Zona Franca, e foi logo rebatido e cobrado sobre a desburocratização das exportações do Estado. “O Amazonas é um Estado que tem um potencial muito grande, por exemplo, de tornar o Brasil autossuficiente na produção de fertilizantes, com a exploração do potássio e do gás natural”, disse o governador.