O pedido do governador Wilson Lima para congelar os salários dos servidores a partir de setembro deste ano até agosto de 2021 foi aprovado nesta sexta-feira pelos deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas. Em uma votação tumultuada, com muitas críticas e até bate-bocas, o congelamento venceu por 12 votos contra 7.

Votaram contra o presidente da ALE-AM, Josué Neto (PSD), Serafim Corrêa (PSB), Cabo Maciel (PL), Delegado Pérciles (PSL), Wilker Barreto (Podemos), Dermilson Chagas (Progressistas) e Augusto Ferraz (DEM).

O secretário estadual de Fazenda (Sefaz), Alex Del Giglio, justificou a ação. “Não há um congelamento. Estamos vinculando as datas-bases à recuperação fiscal do Estado, até por uma exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal, do Tribunal de Contas do Estado. Ou seja, quando o Estado estiver recuperado fiscalmente, pelo menos abaixo do limite máximo, que são 49%, as categorias obviamente vão receber as datas-bases retroativas e inclusive, as vindouras. É uma medida de ajuste pontual. Não há extinção de datas-bases”.